O projeto que não pode falhar

Costumo dizer que se há um projeto em que não podemos nos dar ao luxo de não tentar todo o possível para que ele dê certo é um projeto chamado filhos.

Explico.

Se, por qualquer motivo, fizermos uma escolha desastrosa do ponto de vista profissional, isto sem dúvida é péssimo, mas vamos encontrar alternativas para solucionar este problema. Podemos ser infinitamente tristes com a má escolha, mas ela é passível de alterações, mudanças de rumos.

Continuar lendo

A difícil tarefa de girar pratinhos

Sempre me identifiquei com aquele moço que gira pratinhos. Habilmente, olhando sempre para o alto, correndo de um lado para o outro, sem nunca (ou quase nunca deixar nenhum deles cair).

Acho que é porque girá-los exige um determinado tipo de habilidade que às vezes eu pareço ter e outras vezes sequer imagino como ser possível fazê-lo. Sempre intrigante.

Continuar lendo

O povo brasileiro gosta de ler?

Temos ainda um longo caminho a percorrer para nos tornarmos um país de leitores, pois fatores como baixo poder aquisitivo de grande parte da população, a falta de bibliotecas públicas, o analfabetismo e a carência de políticas públicas de incentivo à leitura perdurou por décadas no Brasil.

Esta conjuntura desfavorável é agravada por dados apontados em pesquisas recentes, que demonstram o fato de que apenas 25% da população tem habilidades plenas de leitura e escrita. Para piorar a situação, em mais de 1.000 municípios pobres do país não há bibliotecas.

Continuar lendo